Penápolis, Terça-Feira, 22 de Setembro de 2020
Folheie o jornal
Notícias / Cidade & Região
16/09/2020
Tamanho da letra
A-
A+

“Eu tive um surto”, diz homem que matou ex-companheira

Publicidade
box

Da Redação

O homem de 34 anos, que matou a ex-companheira Jaqueline Barboza de Oliveira, de 29 anos, a facadas, confessou a autoria do crime em depoimento na DDM (Delegacia de Defesa da Mulher). O assassinato aconteceu na noite de domingo (13), no Jardim Planalto, em Penápolis. O rapaz disse à delegada Maria Salete Cavestré Tondatto, que investiga o caso, que estava separado da vítima havia aproximadamente dois meses e na noite de domingo foi até a casa do pai da ex-mulher para buscar o filho do casal, um menino de seis anos de idade. No entanto, as roupas da criança estavam na casa de Jaqueline. Ela foi até a residência, mas achou melhor pegar carona com o tio dela, ao invés de ir no carro do ex-companheiro, que também seguiu para o mesmo local. 

Jaqueline já estava em casa, na rua Domingues Vieira, no Jardim Planalto, lavando o quintal, quando o ex-marido chegou. Ele contou para a delegada que ainda tinha esperança de voltar o relacionamento com a ex-mulher e que, apesar da separação, os dois tiveram três encontros. Por isso, na noite de domingo, ele tentou marcar um novo encontro, mas desta vez ela não aceitou. Ele alega que ficou nervoso e teve um surto. Os dois filhos de Jaqueline --- uma menina de nove anos (de um relacionamento anterior) e o menino de cinco anos --- estavam no local. O rapaz disse que tentou puxar a ex-mulher para dentro do carro, mas ela resistiu. Foi neste momento que ele pegou a faca e desferiu vários golpes na ex-mulher, a maioria atingiu a região do peito da vítima. O crime aconteceu em frente à residência de Jaqueline. Em seguida, ele colocou o filho dentro do carro e também tentou levar a filha de Jaqueline, mas a menina conseguiu escapar. Sem rumo, ele passou primeiro em um posto de combustível, onde abasteceu o carro e depois seguiu até a vicinal Francisco Salla e no meio do caminho abandonou a faca usada no crime, que no dia seguinte foi encontrada e apreendida pela polícia.

Na sequência, ele viajou até Votuporanga (a 130 km) onde deixou o veículo na garagem de um conhecido. Ele disse que telefonou para uma irmã, e contou o que havia feito, e pediu para ela fosse até Votuporanga. Ela foi até lá, em um carro, e pegou a criança, mas antes deixou o irmão, por volta das 6h30 da manhã de segunda-feira (14), na sede da Polícia Militar, em Birigui, onde se entregou. Em seguida, ele foi encaminhado para a DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) em Penápolis, onde prestou depoimento. Ele alega que teve medo de vir direto para Penápolis por causa das ameaças de morte que teria recebido, disse também que está arrependido, principalmente por ter esfaqueado a ex-companheira na frente das crianças. Jaqueline ainda estava viva quando foi levada pelo resgate do Corpo de Bombeiros até o pronto-socorro de Penápolis, mas ela não resistiu. O corpo de Jaqueline foi sepultado na manhã desta terça-feira (15), em Penápolis.

 

 






Compartilhe com seus amigos no Facebook

Comentários publicados

Os comentários não representam a opinião do jornal. A responsabilidade é do autor da mensagem.


Atendimento:
18 3652-5511 / 3652-5679

Redação e Gráfica:
Av. Marginal Maria Chica, nº 1830 - CEP 16300-000 - Penápolis-SP

© 2020 Jornal Regional. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso sem autorização do Jornal Regional.