Penápolis, Domingo, 19 de Novembro de 2017
Folheie o jornal
Colunas / Meio Ambiente
Meio Ambiente

16/01/2016
Tamanho da letra
A-
A+

ALGUÉM TEM UM GPS AÍ? ESTAMOS A DERIVA!

As piores previsões sobre a economia brasileira vão se confirmando.  Não bastasse a inflação, a projeção de uma desaceleração no crescimento, os investimentos paralisados, a baixa produtividade da economia, as receitas de exportação cada vez menores com a queda dos preços dos produtos agrícolas causando uma balança comercial deficitária, e a queda das receitas tributárias e como ponto principal do terror o desemprego, talvez a única variável que era positiva para sustentar a política econômica desse governo. A característica mais danosa desse desemprego é que a indústria encolheu e o resultado é medíocre, mas ainda positivo só em função dos resultados da agricultura e dos serviços.  Infelizmente, a insistência do governo federal, que alguns chamam de criatividade, na exploração do pré sal, acabou de jogar na lona nossa Petrobrás. O país está à deriva, estamos nos sentindo perdidos e abandonados por um governo que só se preocupa em se manter no poder.  A resposta de Dilma é acusar a oposição, a mídia, o mau humor dos empresários, o capitalismo internacional, o sistema financeiro e até o mau desempenho da seleção brasileira de futebol. Os investidores estão vendo o Brasil como um país sem rumo. A sensação é de que o governo está acéfalo. Não há hoje uma liderança capaz de  aglutinar forças que possam funcionar como um contraponto às loucuras encabeçadas pelo presidente da Câmara dos Deputados. As chances da economia afundar de vez estão cada vez maiores. A pergunta que todos estão se fazendo é quanto tempo o Brasil aguentará este clima de desconfiança e incerteza, que combina crise política com desastre econômico. A cada semana, pioram as expectativas dos formadores de preços. O país, alegam os especialistas, parou. As fábricas estão desligando as máquinas, demitindo funcionários e restringindo ao máximo os investimentos. As famílias cortaram o consumo. Com a inflação alta, viram a renda cair justamente no momento de elevado endividamento. O quadro é tão dramático que alguns analistas asseguram que pelo menos metade das quase 50 milhões de pessoas que migraram para a classe C nos dois governos de Lula poderá voltar à pobreza. A se confirmar tal quadro, será a maior derrota do governo que está se mostrando um antro de corrupção, preocupado apenas com um longo projeto de poder. Infelizmente o problema maior está em Dilma. Ela dá mostra de que está perdendo a capacidade de conduzir o Brasil. Infelizmente nossos governantes não têm nada mais a oferecer à Nação. Como bons brasileiros que somos, estamos aguardando o famigerado pacote de “incentivos” a construção civil, a agricultura e demais setores que podem e devem manter pulsando nossa economia, mesmo que seja na UTI em fase terminal. Obrigado pela atenção e até a próxima semana!





Compartilhe com seus amigos no Facebook

Atendimento:
18 3652-5511 / 3652-5679

Redação e Gráfica:
Av. Marginal Maria Chica, nº 1830 - CEP 16300-000 - Penápolis-SP

© 2017 Jornal Regional. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso sem autorização do Jornal Regional.