Penápolis, Quinta-Feira, 18 de Abril de 2019
Folheie o jornal
Dicas de Segurança

17/11/2012
Tamanho da letra
A-
A+

Cuidados dentro da sua casa ( Choque Elétrico)

O conforto trazido pelos equipamentos elétricos é incontestável, e cada vez mais nos vimos com necessidades que são supridas por equipamentos desse tipo, pois antigamente a eletricidade residencial era usada basicamente por lâmpadas, geladeira chuveiro e TV, tendo  a evolução tecnológica aumentado o rol de aparelhos nas residências, como o micro-ondas, ar condicionado, computadores, alarmes, fechaduras eletrônicas, etc. No entanto o acidente com a eletricidade pode ser inclusive fatal.

Causas Principais
Nos ambientes de trabalho e nas residências encontramos este acidente quando há principalmente falta de segurança nas instalações e equipamentos, como: fios descascados, falta de aterramento elétrico, parte elétrica de um motor que por defeito  está em contato com sua carcaça, ao se efetuar reparos por pessoas não qualificadas, por descuido com as crianças que podem introduzir objetos nas tomadas, por sobrecarga nas tomadas etc.
Choque Elétrico são os abalos musculares causados pela passagem de corrente elétrica pelo corpo humano.
As alterações provocadas no organismo humano pela corrente elétrica dependem principalmente de sua intensidade, isto é, da amperagem.
Se a corrente for intensa, determinará a morte pela paralisia do centro nervoso central (bulbo) que regem os movimentos respiratórios e cardíacos.
Em outros casos, a morte se dá por fibrilação cardíaca (ventricular).
Em condições habituais correntes de 100 a 150 Volts já são perigosas e acima de 500 Volts são mortais.
A intensidade da corrente é o fator mais importante a ser considerado nos acidentes com eletricidade. Corrente com 25 mA determinam espasmos musculares, podendo levar à morte se atuar por alguns minutos, por paralisia da musculatura respiratória. Entre 25 mA e 75 mA, além do espasmo muscular, dá-se a parada do coração em diástole (fase de relaxamento) ventricular. Se o tempo de contato for curto, o coração poderá sobreviver a fibrilação ventricular.
Cada segundo de contato com a eletricidade diminui a possibilidade de sobrevivência da vítima.
Os acidentes com eletricidade também oferecem perigo à pessoa que vai socorrer a vítima.

Alguns cuidados
Plugue e use os dispositivos elétricos de segurança disponíveis como, por exemplo, a nova tomada de 3 pinos.
Considere todo fio elétrico como “positivo”, ou seja, passível de provocar um choque mortal.
Cheque o estado de todos os fios e dispositivos elétricos; contrate um profissional qualificado para consertos ou substituição quando necessário.
Certifique-se de que a corrente está desligada, antes de operar uma ferramenta elétrica.
Se um circúito elétrico em carga tiver de ser reparado, chame um eletricista qualificado para fazê-lo.
Use ferramentas “isoladas”, que fornecem uma barreira adicional entre você e a corrente elétrica.
Use os fios recomendados para o tipo de serviço elétrico a que ele vai servir.
Não sobrecarregue uma única tomada com vários aparelhos elétricos, usando, por exemplo, o “benjamin”.
Cuidado ao substituir a resistência queimada do seu chuveiro, pois o ambiente molhado aumenta o choque, acione um profissional para a troca.

Sintomas após o Choque Elétrico
• Mal estar geral
• Sensação de angústia
• Náusea
• Cãibras musculares de extremidades
• Parestesias (dormência, formigamento)
• Ardência ou insensibilidade da pele
• Escotomas cintilantes (visão de pontos luminosos)
• Cefaléia
• Vertigem
• Arritmias (ritmo irregular) cardíacas (alteração do ritmo cardíaco)
• Falta de ar (dispnéia).
Principais Complicações
• Parada cardíaca
• Parada respiratória
• Queimaduras
• Traumatismo (de crânio, ruptura de órgãos internos, etc.)
• Óbito.

Primeiros Socorros
• Antes de socorrer a vítima, cortar a corrente elétrica, desligando a chave geral de força ou puxando o fio da tomada (desde que esteja encapado).
• Se o item anterior não for possível, tentar afastar a vítima da fonte de energia utilizando luvas de borracha grossa ou materiais isolantes, e que estejam secos (cabo de vassoura, tapete de borracha, jornal dobrado, pano grosso dobrado, corda, etc.), afastando a vítima do fio ou aparelho.
• Não tocar na vítima até que ela esteja separada da corrente elétrica ou que esta seja interrompida.
• Em caso de parada cardío-respiratória iniciar imediatamente as manobras de ressuscitação, se você não souber como fazer ligue 193 e será orientado por telefone.
• Insistir nas manobras de ressuscitação, mesmo que a vítima não esteja se recuperando, até a chegada do atendimento especializado.
• Depois de obtida a ressuscitação cardío-respiratória, deve ser feito um exame geral da vítima para localizar possíveis queimaduras, fraturas ou lesões que possam ter ocorrido no caso de queda durante o acidente.
• Deve-se atender primeiro a hemorragias, fraturas e queimaduras nesta ordem.
Lembre-se de que enquanto você presta os primeiros socorros alguém deve acionar o  socorro especializado (tel. 193 Corpo de Bombeiros, 192 Ambulância) para remoção até o Pronto Socorro local.
Fonte: Manual de Primeiros Socorros. Rio de Janeiro.Fundação Oswaldo Cruz, 2003. Ministério da Saúde.
 Link: http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/manuais/biosseguranca/manualdeprimeirossocorros.pdf
http://www.ufrrj.br/institutos/it/de/acidentes/eletric.htm

1º Tenente PM Fernando da Cunha Bachiega
Bacharel em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública pela Academia de Polícia Militar do Barro Branco.





Compartilhe com seus amigos no Facebook

Atendimento:
18 3652-5511 / 3652-5679

Redação e Gráfica:
Av. Marginal Maria Chica, nº 1830 - CEP 16300-000 - Penápolis-SP

© 2019 Jornal Regional. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso sem autorização do Jornal Regional.