Penápolis, Quinta-Feira, 18 de Abril de 2019
Folheie o jornal
Dicas de Segurança

10/11/2012
Tamanho da letra
A-
A+

Cuidados dentro da sua casa (COBRAS)

Os acidentes por cobras merecem  especial atenção, visto que são importantes do ponto de vista da saúde pública, por sua freqüência e potencial gravidade, sobretudo em países como o Brasil, que apresenta características geográficas favoráveis à existência de grande número de espécies de cobras venenosas.
As serpentes venenosas em geral não se movimentam muito nem se locomovem rapidamente; as não venenosas são mais rápidas, fugindo ou perseguindo com agilidade. Atacam quando alguém delas se aproxima ou quando são tocadas ou pisadas. Mesmo depois de se alimentarem ou de picarem, ainda conservam veneno suficiente para outra agressão. Não são conhecidos produtos químicos ou agentes vegetais que sirvam de repelente contra as serpentes. A cobra venenosa ataca dando o “bote” podendo distender até 50% do seu comprimento.

Primeiros Socorros em Picadas de Cobras
· Acalmar e confortar a vítima que, quase sempre, estará excitada ou agitada. Ela deve ser mantida em decúbito dorsal, em repouso, evitando andar ou correr, caso contrário, a absorção do veneno pode disseminar-se.
· Lavar o local da picada apenas com água ou com água e sabão, fazendo a antissepsia local, se possível (a ferida também é contaminada por bactérias).
· Não perfurar ou cortar o local da picada.
· Não colocar folhas, pó de café ou outros contaminantes.
· Não se deve fazer o garroteamento  do membro afetado, pois isto agravará as lesões locais.
· O membro afetado deve ser mantido elevado.
· Manter a vítima hidratada.
· Evitar o uso de drogas depressoras do Sistema Nervoso (álcool por exemplo).
· Controlar os sinais vitais e o volume urinário do acidentado.
· Dar o apoio respiratório que o caso exigir.
· Transportar a vítima com urgência para o atendimento especializado de emergência.
· Em nenhuma circunstância a extremidade deve ser envolvida com gelo.
· Se já passaram mais de 30 minutos desde o momento da picada, não adianta qualquer medida local de primeiros socorros. Deve-se manter os cuidados gerais de repouso e apoio psicológico: verificação dos sinais vitais e prevenção de estado de choque e transportar a vítima o mais rápido possível ao serviço de emergência médica.
Sempre que for possível, deve-se localizar a cobra que mordeu a vítima e identifica-la, (tirando uma foto digital por exemplo) mantendo boa distancia do animal, para o reconhecimento e para que seja ministrado o soro específico. O soro universal não é tão eficiente quanto o soro específico.

Prevenção
· Evitar andar descalço, pois as porções inferiores do corpo (pés e pernas) são os locais mais atingidos nas picadas; o uso de botas é aconselhado nos locais de ocorrência de ofídios.
· Observação cuidadosa ao caminhar em locais de mata e capinzais, área na qual podem ser encontradas serpentes.
· Uso de luvas resistentes (raspas de couro) para determinadas atividades laboratoriais e de trabalho de campo. Cobras gostam de abrigar se em locais quentes, escuros e úmidos, cuidado ao revirar montes de lenhas ou inspecionar buracos na terra com as mãos desprotegidas.
· Cuidado ao subir em árvores, pois foram descritos acidentes na cabeça, ombros e braços.
· Onde há rato, há maior chance de haver cobra. Manter limpo terrenos, evitando acúmulo de madeira, tijolos, pedras, entulhos de construção civil, lixos, etc, além de se evitar trepadeiras que encostem nas paredes ou alcancem telhados e forros.
· A criação de determinadas aves afiófagas (como gansos, emas, dentre outras) ajuda a afugentar as serpentes.
· Evitar caminhadas desnecessárias noturnas em locais de mata e capinzais, dados os hábitos noturnos (saída para alimentação) de boa parte das serpentes peçonhentas.
. para captura de serpentes que estejam oferecendo risco, acione os órgãos púbicos responsáveis (vigilância sanitária, Polícia Ambiental, Corpo de Bombeiros) para a captura com segurança e posterior reinserção do animal em seu habitat natural.
    
Fonte: Manual de Primeiros Socorros. Rio de Janeiro. Fundação Oswaldo Cruz, 2003. Ministério da Saúde.
Link: http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/manuais/biosseguranca/manualdeprimeirossocorros.pdf

1º Tenente PM Fernando da Cunha Bachiega
Bacharel em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública pela Academia de Polícia Militar do Barro Branco





Compartilhe com seus amigos no Facebook

Atendimento:
18 3652-5511 / 3652-5679

Redação e Gráfica:
Av. Marginal Maria Chica, nº 1830 - CEP 16300-000 - Penápolis-SP

© 2019 Jornal Regional. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso sem autorização do Jornal Regional.