Penápolis, Quinta-Feira, 23 de Outubro de 2014
Folheie o jornal
Colunas / Meio Ambiente
Meio Ambiente

14/12/2013
Tamanho da letra
A-
A+

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: A BASE DA SUSTENTABILIDADE

A educação ambiental é uma ferramenta essencial para a melhoria da qualidade de vida da população. 

A partir dela, estimula-se o exercício pleno e consciente da cidadania (direitos e deveres) e fomenta-se o resgate e o surgimento de novos valores. 

Ter acesso às informações e conceitos ambientais significa ter condições para refletir sobre as causas e os efeitos da degradação, possibilitando a mudança de comportamento do cidadão e, consequentemente, atitudes que visem à sustentabilidade da Terra. Existem várias definições de educação ambiental. 

No Capítulo 36 da Agenda 21, é definida como “um processo que busca desenvolver uma população que seja consciente e preocupada com o meio ambiente e com os problemas que lhes são associados. Uma população que tenha conhecimentos, habilidades, atitudes, motivações e compromissos para trabalhar, individual e coletivamente, na busca de soluções para os problemas existentes e para a prevenção dos novos”.  

Os princípios que devem nortear programas e projetos de trabalho em educação ambiental são:  

· Considerar o ambiente em sua totalidade, ou seja, em seus aspectos naturais e artificiais, tecnológicos e sociais (econômico, político, técnico, histórico-cultural e estético).  

· Construir-se num processo contínuo e permanente, iniciando na educação infantil e continuando por todas as fases do ensino formal e não formal.  

· Empregar o enfoque interdisciplinar, aproveitando o conteúdo específico de cada disciplina, para que se adquira uma perspectiva global e equilibrada.  

· Examinar as principais questões ambientais em escala pessoal, local, regional, nacional, internacional, de modo que os educandos tomem conhecimento das condições ambientais de outras regiões geográficas. 

· Concentrar-se nas situações ambientais atuais e futuras, levando em conta também a perspectiva histórica. 

· Insistir no valor e na necessidade de cooperação local, nacional e internacional para prevenir e resolver os problemas ambientais. 

· Considerar, de maneira clara, os aspectos ambientais nos planos de desenvolvimento e crescimento. 

· Salientar a complexidade dos problemas ambientais e, consequentemente, a necessidade de desenvolver o sentido crítico e as aptidões necessárias para resolvê-los.

 

A experiência mostra que para mudar o comportamento das pessoas é preciso sensibilizá-las, despertar o sentimento de pertencimento àquela causa e a vontade de querer fazer diferente. 

No âmbito socioambiental, essa constatação se faz ainda mais evidente. 

Ensinar uma pessoa a plantar uma árvore é algo simples. Porém, conscientizá-la de que uma simples atitude — como escolher no supermercado somente produtos que tenham destinação ambientalmente responsável — faz toda a diferença no ciclo de sustentabilidade do planeta, este sim é um resultado permanente, uma mudança cultural.

Obrigado pela atenção e até a próxima semana!





Compartilhe com seus amigos no Facebook

Atendimento:
18 3652-5511 / 3652-5679

Redação e Gráfica:
Av. Marginal Maria Chica, nº 1830 - CEP 16300-000 - Penápolis-SP

© 2014 Jornal Regional. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso sem autorização do Jornal Regional. Desenvolvido por Tream